Gazeta de Griavere

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Gazeta de Griavere

Mensagem por Doigyfu em Qui 20 Abr 2017 - 1:11





Gazeta de Griavere

Alfirin Barad, 10 de Outubro de 20, D.C.

Sua dose diária das notícias de Griavere | 02943ª ed. | ano 0008

20 anos d'A corrupção
por Sary Beodun

No dia de hoje, 10 de outubro, há vinte anos atrás, a humanidade foi pressionada, pela primeira vez, pelos chamados "Corrompidos", seres criados à partir dos cadáveres de centenas de milhares de guerreiros caídos na guerra de Sar-Griavere e uma forma muito antiga de magia negra.

O incidente, conhecido historicamente com "A Corrupção", teve seu início durante a guerra de Sar-Griavere, através do Rei Owise Lessongar, do país de Lessongar, que sofria uma derrota militar e estratégica quase que total. Após seis anos de guerra, os recursos de Lessongar já se esgotavam, e a população perecia entre a peste e a fome. Diante da desesperadora situação, a única opção visível para a nação era a de render-se ao império de Chelsara. Sete dos oito conselheiros estavam a favor da rendição, e tentavam persuadir o Rei, Owise, a assinar um tratado e render-se ao governo do Império. Um último conselheiro, porém, tinha uma opinião diferente. Shageor van Hesan, um estudioso de magia antiga, propôs um arriscado plano a Owise: abrir os portões das ruínas subterrâneas de Mallet, uma ilha ao norte, e extrair de lá o poder há muito selado, que, segundo as lendas, seria capaz de tornar imortal e eterno, não apenas o governante, mas todo o seu exército, e até mesmo ressuscitar os mortos.

Atraído por aquele que parecia ser seu único fio de esperança, enquanto os demais conselheiros preparavam a diplomacia, o rei tomou sua guarda e o conselheiro, e foi de encontro às ruínas. Segundo relatos, ali, sobre um altar de pedra, encontrou uma esfera de luz que flutuava, inerte no ar. Ao tocá-la, Lessongar foi tomado por um poder mágico extraordinário, que o permitiu que, logo após deixar das ruínas, ao chegar em terra, destruísse, sozinho, o exército de mais de trezentos homens que cercava a capital com uma simples adaga de caça. O verdadeiro horror, porém, começou logo após: os cadáveres do exército caído, ainda sujos de sangue, agora novamente se levantavam, e, seguindo ordens de Owise, ergueram suas armas e foram de encontro aos destacamentos do exército de Chelsara. Em uma semana, todo o império de Chelsara foi subjugado por uma horda incansável e crescente de soldados mortos-vivos, que transformavam em semelhantes todos os que matavam, inclusive a população de cada vila e cidade que atravessavam.

Agora, cego pelo poder, o coração do Rei Owise Lessongar se corrompia dia após dia, e sua sede por poder e dominação não o permitiu parar. Com seu exército de mortos-vivos, invadiu as fronteiras dos cinco países vizinhos a Lessongar e Chelsara: Riewyn, Timforth, Gardnan, Zaan e Egarjack. Não é preciso dizer que, em menos de duas semanas, todos estavam completamente desolados, e a sede de sangue de Lessongar não era insaciável. Logo a corte do agora "Grande Império de Lessongar" decidiu dar um basta em todo aquele derramamento de sangue, e tramaram a morte de Owise. O plano foi bem sucedido, e Owise morreu apunhalado no peito, enquanto dormia em sua cama, com uma adaga envenenada. O que ninguém esperava é que até o próprio Owise, assim como seus soldados, fosse plenamente capaz de retornar da morte (e foi o que aconteceu).

Renascido, o Imperador tinha seu coração ainda mais corrompido, e agora iniciara uma matança, um ataque indiscriminado a todo ser humano do continente. Em poucos meses, já não havia nação capaz de subjugar o sanguinário império. Foi quando os magos tomaram os holofotes. Os principais mestres em magia e suas escolas, reunidos, começaram uma pesada resistência ao Rei Morto e seu exército. Desde então, foram dezessete anos de guerra com os corrompidos, que tomaram toda a parte norte do continente de Sar-Griavere, até pouco além do Estreito de Ferth. Ali, concentrou-se a defesa principal da humanidade, com os melhores magos. Para garantir que o avanço fosse contido, uma quantidade enorme de magos elementais reunidos criou uma cadeia de montanhas (que posteriormente foram batizadas como Picos Elementais), mantendo seguro o que restou da humanidade. Agora, onde um dia foi território de Londor, e nas vilas próximas, se mantém o fronte da resistência, com batalhas constantes no deserto da Terra de Ninguém.

A principal consequência política de toda a catástrofe foi a grande mudança no que restou do continente, Griavere. Visto que linhagens reais inteiras se perderam durante os dezessete anos de guerra, não restava mais nenhum descendente dos antigos reis para governar os pequenos países restantes. Foi então que se organizaram no que os cientistas políticos da atualidade chamam de cidades-estado, que são governadas por um conselho formado pelas famílias mais poderosas da região. Isso gerou, além de uma nova "nobreza", a possibilidade de que os antigos plebeus pudessem agora, sonhar com uma vida cheia de regalias, e criou um ambiente mais amigável às pessoas mais simples, que não nasceram em berços de ouro. Isso é, a não ser que vivam em Southgard, onde a linhagem imperial ainda persiste.





[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
Doigyfu

Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/02/2017
Idade : 21
Localização : Goiânia, Goiás, Brasil

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum